“Comedouro para passarinhos”

Com sementes e sementinhas

Rolos de papel e palitos

Água quente e gelatina

Fazemos um comedouro

Para dar aos passaritos.

Falta a bacia e a colher

Fio e papel de alumínio

Vamo lá embora fazer

Com afinco e prazer

e por fim poder dizer

“Que regalo …vê-los comer…”

Riu piu piu

Piu piu piu piu

Fazem estes seres vivos

Alimentam-se de grãos

São animais granívoros.

Mas ainda não é tudo …

Diz a professora de Ciências

Também há os animais carnívoros,

Insetívoros e herbívoros.

E nós, os homens

que somos os omnívoros.

E a lição continua….

E muito haveria a dizer

Que trabalhar com Cientista

Foi um enorme prazer.

      1º ano da Escola EB1/JI dos Ribeiros
Anúncios

Os animais – caracol

Os animais são seres vivos, ou seja: nascem, crescem e alimentam-se, reproduzem-se e morrem.

Cada espécie possui as suas próprias características, como cor, tamanho, tipo de alimentação, ambiente em que vive, revestimento do corpo, ….

Os animais também apresentam diversas formas de locomoção, podendo andar, nadar, saltar, voar, rastejar ou, simplesmente, não se locomover.

No tamanho, os animais variam muito, podendo ser considerados de porte pequeno (pulgas, sanguessugas e mosquitos), médio (sapos e cães) e de grande porte (bovinos, elefantes e baleias).
A quantidade de patas dos animais também é variável de acordo com o grupo ao qual pertencem. Alguns deles não possuem patas (esponjas e cobras), outros possuem duas patas (aves), existindo também os que possuem quatro patas (girafa, cão). Outros animais possuem seis (insetos), oito (aranha, caranguejo), ou mesmo inúmeras patas, tal como as centopeias.

O revestimento do corpo dos animais também muda bastante. Os peixes têm corpo coberto por escamas, assim como os répteis. Já nos anfíbios, estas estruturas são ausentes. As aves têm o corpo coberto por penas e os mamíferos estão cobertos por pelos. Quanto aos invertebrados, isso varia muito, mas pode-se destacar o corpo coberto por carapaça externa, típico do grupo dos artrópodes (caranguejo, aranha, centopeia, borboleta, etc.) e a presença de conchas, em muitos animais do grupo dos moluscos (mexilhão, ostra, caracol, etc.).

Quanto à alimentação os animais podem-se classificar como carnívoros aqueles que se alimentam de outros animais (leão, crocodilo, piranha); herbívoros, aqueles que só comem plantas, inteiras ou partes delas (girafa, boi, coelho); omnívoros, que comem tanto animais como plantas (porco, galinha, macaco, cão) e detritívoros, os que se alimentam da matéria morta (abutres).

Algumas espécies possuem coluna vertebral e por esse motivo são chamadas de animais vertebrados. Eles se dividem em cinco grupos: mamíferos, aves, répteis, anfíbios e peixes. No entanto, há vertebrados sem vértebras, como no caso das lampreias. Assim, na verdade, o que todos os vertebrados têm em comum é a presença de crânio.
Os animais que não possuem coluna vertebral nem crânio são caracterizados como invertebrados, como por exemplo os moluscos.

Imagem1O nome “caracol” vem do latim cochleolus.

Os caracóis são os moluscos terrestres de concha espiralada. São animais com ampla distribuição ambiental e geográfica. Respiram através de um pulmão.

As diversas espécies de caracóis distinguem-se especialmente pela concha que é, na verdade, o esqueleto externo do animal. Essa concha é feita de calcário, e pesa pouco mais de um terço do peso total.

Os caracóis não tem audição e utilizam especialmente os sentidos do tato e do olfato que se situam em todo o corpo mas principalmente nos tentáculos já que pouco enxergam com os olhos situados nas pontas dos tentáculos superiores. Quando tocas levemente nos tentáculos ele recolhe-os rapidamente.

Os caracóis terrestres são encontrados em ambientes de solo húmido, não encharcado e são difíceis de ser observados durante o dia, uma vez que grande parte de suas atividades ocorrem durante a noite. Deslocam-se movimentando o músculo do seu único pé.

Os caracóis são essencialmente herbívoros pois comem verduras como a couve, alface, etc.

Imagem2

1º ano da Escola Eb1 de Carquejido

 

“De que precisam as sementes para germinar?”

Imagem7O que é germinação?

É o desenvolvimento gradual do embrião contido na semente, passando do estado de vida latente ao estado de vida ativa.

Imagem2

Imagem5

Imagem9Depois de pensarmos um pouco no assunto e de prevermos os resultados que poderiamos obter, passamos à ação.

Imagem20Durante alguns dias tomamos conta dos copos A, B, C e D, verificando sempre a necessidade de colocar ou não água nos copos B, C e D.

Resultados

Imagem19Imagem12 Imagem13Conclusão

Imagem15O que penso depois da atividade experimental…

“Tenho de cuidar bem das plantas porque sem elas não temos alimentos.”

                                                                                                               Mariane

“Nunca vi uma coisa assim! Uma semente no escuro não cresce tão rapidamente como a que está à luz. Descobri que as plantas precisam de luz para crescerem.”

                                                                                                                         Mariana Santos

“As sementes pequeninas germinaram numa só noite.”

                                                                                                            Andreia

“ A grande descoberta que fiz, foi que a semente de feijão germinou passados 3 dias e nasceu uma planta.”

                                                                                                      Miguel

“Os feijões sem água não conseguem crescer.”

                                                                                                                              Mariana Fernandes

“ Eu fiquei admirada por causa das plantas crescerem tão depressa.”

                                                                                                           Ana Pereira

“Eu fiquei impressionada porque os feijões crescem muito e em poucos dias.”

                                                                                                                      Mariana Francisca

“Eu descobri que as plantas só crescem com luz, água e sol.”

                                                                                               Rafael

“ A planta que estava sem luz estava muito estranha.”

                                                                                                                     Ana Sofia Oliveira

“ A planta no armário cresceu amarela mas quando apanhou sol ficou verde.”

                                                                                                                 Ana Sofia Santos

“ A planta germina só com água.”

                                                                                            Leonor

1º ano da Escola EB1/JI de Casaldelo
 
 
 

 

Dissolve??!!! Não dissolve??!!!

O que será que acontece aos materiais quando os misturámos em água?

Nesta experiência abordámos o termo de dissolução.

Após breve conversa verificámos que, neste caso, seria o ato de diluir completamente uma substância num líquido (água).

Substâncias usadas:

Imagem1

O que será que vai acontecer quando adicionarmos estas substâncias a água?
 
Previsões:

Imagem3

Para verificarmos o que realmente aconteceu usámos quatro copos de plástico transparentes e neles colocámos a mesma quantidade de água.

De seguida, deitámos (todos ao mesmo tempo) em cada copo um material diferente:

  1. Uma colher de sal;
  2. Uma colher de açúcar;
  3. Uma colher de arroz;
  4. Uma colher de azeite;
Resultados:
 Imagem6
Imagem4
Conclusão:

Quando misturámos materiais na água, há alguns que não se distinguem, como o sal e o açúcar, mas há outros que se conseguem ver, como o azeite e o arroz.

Será possível recuperar o sal e o açúcar?

Para verificarmos vertemos a mistura de sal e de açucar am água  para dois pratos e deixámos alguns dias ao ar. No final todo o sal e açúcar se encontrava no fundo dos pratos!!!!

Imagem5
 

“Dissolve ou não dissolve

Após a água juntar?

Talvez sim…

Talvez não…

Mas que grande confusão!

 

Somos pequenos cientistas

E as dúvidas quisemos tirar

Preparámos o espaço

Para a experiência realizar.

 

A água com o azeite

Mexemos sem parar

Mas não se deu a mistura

Foi bom verificar!

 

À água juntamos sal

E a mistura aconteceu

A água ficou salgada

E o sal desapareceu!

 

O açúcar na água

Depressa se dissolveu

E a nossa turma ficou feliz

Com tudo o que aprendeu!”

1º ano da Escola Eb1 Conde Dias Garcia

 

“Dentes”

No dia 18 de março, o tema da nossa aula de Ciência foi: “Os nossos dentes”.

Falamos sobre a primeira dentição e sobre a dentição definitiva que surge por volta dos 6 – 7 anos.

Depois a professora perguntou:

Como é constituído o dente?

Com a ajuda de imagens aprendemos que o dente é constituído pela coroa e pela raiz, e que no seu interior passam vasos sanguíneos.

Seguidamente vimos o filme: “A Lenda do Reino dos Dentes”. O filme ajudou-nos a perceber a importância dos cuidarmos a ter com os nossos dentes.

Para termos sempre dentes e gengivas saudáveis precisamos de:

– Escovar os dentes, no mínimo duas vezes ao dia e usar fio dentário;

– Fazer uma dieta equilibrada com pouco açúcar e amido que produzem ácidos que causam cáries;

– Usar produtos dentários que contenham flúor, incluindo a pasta dentífrica;

– Bochechar com elixir fluoretado;

– Tomar suplemento de fluor até aos 12 anos;

– Ir frequentemente ao dentista.

Por fim, a professora perguntou:

 Será que todas as bebidas são saudáveis?

  Imagem2

Colocamos um dente de porco num copo com água, outro num copo de refrigerante de cola, outro num copo de leite e outro num copo com sumo com gás.

Imagem8

O que acontecerá aos dentes?

Previsões

Na água – dente branco

Cola – dente muda de cor

Leite e sumo- muda de cor e fica amarelo.

Quinze dias depois verificamos que:

Imagem3

Conclusão:

Os dentes mudaram de cor, principalmente com a cola e com o sumo com gás que são alimentos pouco saudáveis.

No final, todos ficamos sensibilizados para a importância dos cuidados a ter para termos dentes e gengivas saudáveis.

1º A  Escola Eb1 do Espadanal

“Toca mais alto”

No dia 18 de fevereiro, na aula de ciências, a turma do 1º B da escola do Espadanal realizou atividades e experiências relacionadas com o som.

O que é o som?

Imagem2Imagem4Imagem1

Quando tocas um instrumento, falas, cantas ou assobias estás a criar um som.
O som é produzido quando alguma coisa faz o ar se mover. Esse movimento chama-se vibração. Quando as moléculas de ar vibram, elas batem umas contra as outras, fazendo com que as vibrações se espalhem pelo ar sob a forma de ondas, produzindo o som.

Imagem3

Como são constituídos os nossos ouvidos?

Imagem6

Alguns animais que usam a audição para sobreviver…….

 baleias-assassinas-1 golfinho4

370_bat

Depois de uma breve introdução ……. fizemos um jogo de sons onde identificámos os sons naturais e artificiais, dando uso ao nosso aparelho auditivo.

Por fim, elaboramos pequenos artefatos que nos permitiram fazer sons.

Bateria e maracas

Imagem7Material: latas vazias, elásticos, arroz, plástico grosso (ou papel autocolante), fita-cola e tesoura.
Procedimento:
1. Coloca uma colher de arroz para dentro da lata bem limpa.
2. Recorta um quadrado de plástico, pelo menos 5 cm mais largo que a lata.
3. Coloca-o por cima da abertura da lata, esticando bem.
4. Prende com um elástico.
5. Prende as bordas do plástico à lata com fita-cola.
6. Agora, podes usar pauzinhos ou colheres para criar um ritmo ou simplesmente agitar.

Flauta de Pan com palhinhas

Imagem8

Material: palhinhas, plasticina, tira de cartolina, fita-cola e tesoura.
Procedimento:
1. Corta as palhinhas de tamanhos diferentes.
2. Coloca uma bola de plasticina em cada palhinha.
3. Cola uma tira de cartolina a rodear as palhinhas e prende com fita-cola.
4. Agora experimenta soprar, encostando o lábio inferior e movimentando a flauta de uma lado para o outro.

Aqui ficam registadas algumas das opiniões dos alunos:

“Esta atividade foi importante porque aprendemos que alguns animais usam a audição para poderem sobreviver.”

“Achamos divertido ouvir os sons da natureza e identificá-los. Também tivemos a oportunidade de construir instrumentos musicais, a partir de materiais do dia-a-dia, com a ajuda da professora de Ciências.”

“Gostamos muito de conhecer o aparelho auditivo humano.”

“A água pura tem cheiro, cor, sabor?” e “A água tem forma?”

No dia 3 de fevereiro, o tema da nossa aula de Ciências foi “A ÁGUA”.

Conversamos sobre a sua importância na vida dos seres vivos e aprendemos que nem toda a água se pode beber pois grande parte é salgada e nós só podemos beber água doce. Falamos que ela tem várias propriedades e uma delas é não arder, por isso apaga os incêndios.

A certa altura, a professora de Ciências perguntou-nos:

A água pura tem cheiro? E cor? E sabor?

Demos a nossa opinião e de seguida fomos verificar se as nossas respostas estavam corretas.

Em três copos transparentes colocaram-se três líquidos: leite, sumo e água.

Depois de observarmos, cheirarmos e saborearmos esses líquidos, concluímos que a água é inodora porque não tem cheiro, é incolor porque não tem cor e é insípida por não ter sabor.

Foi divertido aprender estes nomes esquisitos!

 De seguida foi-nos colocada novas perguntas:

 A água tem forma?

A quantidade de água varia com o recipiente?

Ficamos a pensar e lá fomos dando a nossa opinião. Mais uma vez fomos verificar se o que pensávamos estava correto ou não.

Encheu-se um copo com água e marcou-se o nível da água. De seguida virou-se essa água para um recipiente estreito e novamente para outro mais largo. A quantidade era a mesma mas parecia que no recipiente mais estreito havia mais água e no mais largo havia menos quantidade.

Com esta experiência concluímos que a água não tem forma mas toma a forma do recipiente onde é colocada. Também a quantidade de água não aumenta, nem diminui com o recipiente que usarmos.

Aprendemos muito com estas experiências! E não se esqueçam:

A ÁGUA É VIDA! NÃO A DESPERDICEM!

Realizado pelo 1º ano da Escola Eb1/JI das Fontainhas

%d bloggers like this: