Boletim meteorológico!

Olá!

Somos os Pequenos Cientistas do  Jardim de Infância das Fontainhas e durante o mês de janeiro as nossas experiências foram dedicadas aos diferentes estados do tempo! 

Há dias em que está sol e calor, outros em que chove, noutros a chuva é acompanhada de frio e vento, às vezes o vento é fraco, outras vezes sopra muito forte….

Para os cientistas descreverem os estados do tempo, reúnem  informações  sobre as nuvens, a precipitação, a temperatura e o vento, entre outras… 

Com o objetivo de descrever o aspeto do céu podem usar-se descrições, símbolos ou ambos.

A cientista Ana desafiou-nos a fazer a experiência “Nuvem Chorona”, com o objetivo de percebermos como se forma a chuva. Para isso necessitamos de um frasco de vidro, espuma de barbear, copos, pipetas, corante alimentar de várias cores e água. Começamos por colocar água no frasco e adicionamos a espuma de barbear. De seguida, colocamos um pouco de água em cada copo e juntámos algumas gotas de corante alimentar. Por fim, com a pipeta “furamos” a nossa nuvem e deixámos cair uma gota de água colorida.

Foi uma experiência muito interessante e divertida!  As nossas “nuvens choronas” ficaram lindas e percebemos que quando as nuvens ficam muito carregadas de gotinhas de água começa a chover.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Nas previsões do estado do tempo, faz-se referência aos valores da temperatura do ar, estes medem-se em graus Celsius (ºC), utilizando-se termómetros, diferentes temperaturas do ar provocam diferentes sensações: frio, conforto ou calor. Com o objetivo de testar a temperatura da sala, aprendemos a construir um termómetro caseiro.

Existem instrumentos que nos ajudam a prever o estado do tempo. O vira-vento indica a presença de vento e dá informação sobre a sua intensidade. O barómetro mede a pressão atmosférica. É muito interessante medir a pressão atmosférica, pois as suas diferenças fazem com que as massas de ar se movimentem e influenciem as condições climatéricas.

Como é que o barómetro funciona?!

Com o barómetro podemos registar as mudanças de pressão que ocorrem no exterior do frasco:

  • Se a pressão for maior, o ar dentro do frasco faz pressão para baixo, fazendo a palhinha subir.
  • Se a pressão for menor, o ar dentro do frasco exerce pressão sobre o balão, fazendo baixar a palhinha.

Quando os valores da pressão atomosférica são elevados, temos bom tempo. Com valores baixos, o tempo piora e pode mesmo chover!

Escola EB1/JI das Fontainhas

 

 

Como são os objetos que me rodeiam?

A aula de Ciências teve início com um diálogo sobre “de que são feitos os objetos que me rodeiam”. Primeiro, foi pedido às crianças que procurassem, na sala, brinquedos feitos de diferentes materiais.

De seguida, foram colocados sobre uma mesa, brinquedos feitos de diferentes materiais.

Depois de dialogar com as crianças sobre a sua diversidade foi proposto que arrumassem os brinquedos numa espécie de armário (caixa de cartão com várias divisões), segundo o material de que eram feitos (cartão, plástico, metal , madeira, tecido, borracha…) .

Todas as crianças participaram alegremente nesta tarefa.

De seguida, foi feito o registo gráfico, onde se pode observar que as crianças realizaram através da ação e manipulação dos brinquedos a interiorização da mensagem que se pretendia fazer passar.

 

12

3

No final da aula foi realizada a experiência:

Fazer desaparecer esferovite!

 

Reagentes e material necessário

  • Gobelé;
  • Acetona (industrial);
  • Espuma de poliestireno (esferovite);
  • Luvas de proteção.

Procedimento experimental

  1. Deitar cerca de 100 ml de acetona no gobelé.
  2. Adicionar um bocadinho de esferovite, colocando-a dentro do líquido.
  3. Observar.

Conclusão

A esferovite também pode ser chamada de poliestireno expandido. As bolinhas de esferovite têm 98% de ar e 2% de poliestireno (um composto de carbono e hidrogénio derivado do petróleo). É um material muito leve.

Quando colocamos a esferovite em contacto com a acetona, esta “derrete” porque a acetona quebra as ligações químicas entre as moléculas e o ar sai. No fundo do gobelé fica apenas uma massa pegajosa que, passado algum tempo, fica seca e dura.

 

Registo fotográfico da atividade:

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

As crianças adoraram esta experiência! Ficaram muito admiradas com o facto de parecer que a esferovite desaparecia. Mas, logo perceberam que no copo ficou uma massa e que o barulhinho que ouviam era o ar a sair.

JI de Conde Dias Garcia

 

Estrelas de Natal

Mês de dezembro aproxima-se o Natal e os Pequenos Cientistas Sanjoanenses não se esqueceram e realizaram uma atividade para relembrar as suas tradições.

A atividade experimental que fizeram foi estrelas de natal com farinha maizena e bicarbonato de sódio, ao qual juntaram água quente e por fim brilhantes de várias cores.

Estes ingredientes foram todos amassados e a massa estendida e cortada com a forma de estrela.

A atividade foi encerrada com um registo individual da experiência realizada.

Jardim de Infância da Devesa Velha

Este slideshow necessita de JavaScript.

“Apagar velas!!” e “Encher balões sem esforço!!”

Esta semana no projeto “Pequenos Cientistas Sanjoanenses” aprendemos como apagar velas e encher balões sem esforço. Aprendemos que para uma vela estar acesa precisa de oxigénio e quando fica sem esse oxigénio, ela apaga-se.

Depois realizamos outra experiência, na qual aprendemos que ao juntar bicarbonato de sódio ao vinagre acontece uma reação química que liberta um gás, o dióxido de carbono. Este gás, além de apagar a vela também enche os balões sem ser preciso soprar.

Apagar velas 01

Encher balões 01

Registo Ciências

Foi muito divertido e gostamos muito de aprender coisas novas.

Grupo A e B do Jardim de Infância dos Ribeiros

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Docinhos para passarinhos

passaros1

No dia 4 de abril, nós as crianças do Jardim de Infância do Parrinho realizamos atividades sobre animais (tamanho, revestimento do corpo, modo de locomoção, alimentação e habitat).

Numa 1ª etapa foi levantada a questão: Os animais são todos iguais?

Após diálogo entre todos, descobrimos que os animais são muito diferentes uns dos outros… , quer pelo tamanho (ex.: do elefante e da formiga), revestimento do corpo (pelos, penas, escamas, pele nua), locomoção (saltam correm, nadam, voam, rastejam), habitat (terrestre, aquático).

De seguida foi levantada outra questão: Porque se alimentam os animais?

Aprendemos que os animais precisam de energia para viverem e é aos alimentos que a vão buscar.

Na sequência desta conversa surgiu a 3ªquestão: E os animais comem todos os mesmos alimentos?

Após acesa troca de ideias, concluímos que existem animais carnívoros (leão, tigre, cobras, tubarões, águias…), animais herbívoros (vaca, coelho, ovelha,…), animais omnívoros (homem, porco, urso, corvo…). Nesta fase a Professora Guida, mostrou-nos imagens e vimos um vídeo alusivo.

Finalmente a última questão: E o que comem os passarinhos?

De imediato todos respondemos, sementes, insetos e minhocas. Resolvemos então, fazer um docinho para os passarinhos, com gelatina e sementes, como a Professora Guida nos ensinou. Depois de pronto fomos dar de comer aos passarinhos e colocamos estes docinhos nos ramos das árvores da nossa escola. Da parte da tarde decoramos 2 comedouros, um feito com uma embalagem de leite e outro com uma embalagem de plástico, para colocar nas árvores para os passarinhos e fizemos um registo da atividade (labirinto).

ave_rosa

As fotos:

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Sala 1 e sala 2, JI Parrinho

 

Raspadinha

 7146
A cientista Guida mais uma vez  surpreendeu-nos. Desta vez utilizando a técnica da “raspadinha”.
Começou por conversar com as crianças sobre a festa do dia do pai e se gostariam de lhe dar uma surpresa?!!
Todas as crianças responderam que “SIM!” Então, mãos à obra.
Falou das raspadinhas que os adultos compram e da técnica utilizada (raspar com uma moeda),ao fazê-lo sai a tinta prateada e aparece o desenho por baixo?! Assim, e para exemplo, foi passado uma imagem que todas as crianças rasparam e no final apareceu um desenho alusivo ao dia do pai.
Passo seguinte, foi distribuído às crianças um cartão com pequenas imagens para colorir.
Depois, foi forrado com plástico autocolante transparente (com a ajuda do adulto).
Por último, foi passada uma tinta prateada com detergente da loiça por todo o cartão.
Depois de seco, as crianças levaram para casa para ofereceram aos seus pais. Todos estavam entusiasmados com a ideia de ajudarem os papás a rasparem a “raspadinha”, nesse dia tão especial, que é o dia do pai!
As crianças revelaram muita curiosidade ao fazerem esta atividade e mostraram grande alegria e empenho.

As fotos da atividade:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Jardim de Infância de Carquejido: turmas A e B.

Arte no gelo!

Nas nossas conversas na sala, um menino disse que a água é gelo e descongela.pinguim-bonito-que-faz-patinacao-no-gelo_23-2147529459
A professora Ana disse que ia pensar numa experiência sobre as mudanças de estado físico e foi assim que fizemos “Arte no gelo”.

A professora Ana trouxe muitas bolas de gelo e pudemos ver qual descongelava mais depressa; a que estava em cima de um frasco com água quente, a que tinha sal por cima ou a que estava à temperatura ambiente.

A água quente descongelou o gelo primeiro; aprendemos que a este processo se chama “fusão”.

collage1
Na segunda parte da experiência fizemos arte no gelo: colocamos um pouco de sal por cima do gelo e onde estavam os cristais ficaram fissuras (buraquinhos no gelo); com uma pipeta deitamos gotas de corante alimentar e a mistura das cores criou trabalhos muito bonitos, pareciam esculturas no gelo!

collage23

Mais uma vez  a aula de ciências foi surpreendente, pois aliamos a ciência à arte, e conseguimos de uma forma divertida esclarecer as nossas dúvidas!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Meninos do JI do Parque

%d bloggers like this: