Bola Flutuante!

Olá Cientistas!

O ar está em todo o lado, embora seja difícil de imaginar. É invisível, incolor, inodoro e insípido, mas enche todos os recantos.Como vivemos completamente rodeados de ar, este elemento “empurra-nos” fazendo pressão com a mesma intensidade, em todas as direções.
No nosso corpo, o ar das cavidades juntamente com o sangue em circulação faz pressão, de forma a compensar o impulso do ar que nos rodeia. 
A pressão atmosférica é a pressão que o ar exerce sobre a superfície terrestre e é responsável por vários fenómenos do nosso quotidiano.
No entanto, esta varia com a altitude, isto é, ao mudarmos de altitude rapidamente, subindo ou descendo uma montanha, muito depressa, como num teleférico, os nossos ouvidos (tímpanos) alertam-nos para a alteração de pressão.
Estás preparado?! Veste a bata e vamos brincar com a ajuda da pressão atmosférica!

Material necessário:

  • Plástico
  • Palhinha de refresco com dobra      
  • Papel de alumínio
  • Fita-cola 
  • Plasticina
  • Caneta
  • Tesoura

Como deves fazer:

1. Desenha um círculo com a ajuda de uma caneca e recorta;
2. Faz um corte a meio e dobra formando um cone;
3. Prende com fita-cola dos dois lados;
4. Corta um bocadinho a ponta do cone e introduz a ponta mais pequena da palhinha;
5. Corta um pouco da parte maior da palhinha. prende a palhinha ao cone com plasticina;
6. Faz uma pequena bola com o papel de alumínio e coloca-a dentro do cone;
7. Dobra a palhinha e sopra através dela. O que aconteceu?

Se ainda tens dúvidas e estás curioso… espreita as nossas fotografias! 😉

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

2ºB – EB1/JI do Parque

À descoberta do mundo material!

Olá Cientistas!

Na última aula de ciências partimos à descoberta do mundo material e ficámos surpreendidos com a grande diversidade de materiais que existem na Terra.
A Química é a ciência que estuda as propriedades dos materiais que nos rodeiam e as suas transformações.
A professora de ciências explicou-nos que tudo começa com a observação atenta dos materiais e que podemos agrupá-los de acordo com as suas características:

Materiais naturais: todos os materiais que são utilizados como surgem na Natureza.
Exemplos: madeira, rochas, água, ar, algodão, etc.

Materiais sintéticos ou artificiais: os materiais resultantes do tratamento ou transformação dos naturais e os que são produzidos totalmente em laboratório         Exemplos: medicamentos, plásticos, adubos, fibras têxteis, etc…

Seguidamente, aproveitámos as propriedades de vários materiais e fizemos um presente para oferecer à nossa Mãe! Advinham o quê?! Uma raspadinha!

Materiais necessários:

  • Cartolina
  • Tinta guache
  • Pincéis
  • Papel autocolante transparente
  • Detergente
  • Recipientes

Como fizemos:

1. Começa por desenhar ou escrever a tua mensagem no cartão de cartolina;
2. Forra o cartão com papel autocolante transparente;
3. Prepara a tinta de raspadinha juntando num recipiente duas colheres de tinta e uma de detergente líquido. Mistura tudo muito bem;
4. Passa a mistura sobre a mensagem e espera que seque;
5. Surpreende uma pessoa de quem gostes!!!

Este slideshow necessita de JavaScript.

2º A – EB1/JI de Fundo de Vila

Professor Luís Monteiro

À descoberta do solo

No dia 23 de janeiro, na nossa aula de ciências foi a vez de estudarmos o solo e as suas propriedades. Fomos então à descoberta do solo…  procurando dar resposta à questão problema formulada:

“Qual o melhor solo para o agrião?”

Para realizarmos a atividade experimental precisamos de: 2 amostras diferentes de solo; 3 copos de plástico transparente ou frascos de vidro; 3 filtros de café; balança; lupa; copo medidor e água.

Seguimos todos os passos: misturamos, em partes iguais, o solo arenoso e o argiloso, preparamos três amostras, tendo o cuidado de verificar o peso de cada uma, numeramos, e observamos com a lupa…

…tudo parecia diferente… numeramos, também, os recipientes onde colocamos o papel de filtro e a amostra dos diferentes solos.

De seguida, vertemos 10oml de água em cada um e esperamos… esperamos para verificar o nível de água em cada recipiente. E… há que registar os dados da nossa observação.

Desenhamos para registar o que aconteceu no recipiente que tinha o solo arenoso (recipiente 1), no que tinha o solo argiloso (recipiente 2) e no que tinha a mistura de arenoso com argiloso (recipiente 3). Foi interessante descobrir que o nível da água diferia nos três e ao verificarmos que o recipiente 2 era o que tinha deixado passar menos água…podemos, concluir que o solo argiloso é o melhor para o agrião porque foi o que reteve mais água.

Este slideshow necessita de JavaScript.

E assim foi mais uma aventura dos pequenos cientistas da turma B do 2º ano da escola do Espadanal.

Professora Laurinda

As plantas – A influência dos fatores abióticos

A nossa aula hoje foi dedicada ao fabuloso mundo das plantas!

Uma planta completa é constituída por raiz, caule, folha, flores e frutos. Estes seres vivos, para se desenvolverem necessitam de água, sais minerais, ar e luz do Sol.plantas
Existem diversos tipos de plantas, que podem nascer e crescer sem a ajuda do Homem – plantas espontâneas – e outras que podem ser semeadas ou plantadas pelo Homem – plantas cultivadas.
As plantas podem ser usadas para diversos fins, desde o fabrico de medicamentos, passando pela alimentação de vários seres vivos, ornamentação…

Experiência 1: “Será que as plantas da mesma espécie podem viver com níveis de humidade diferentes?”

Colocámos terra em 4 vasos iguais com uma pequena alface e identificámos os vasos com as letras A, B, C e D. O vaso A foi regado diariamente com 4 colheres de água, o vaso B com 2 colheres de água, o vaso C com 1 colher de água e o vaso D não seria regado. Esta tarefa foi repetida durante 15 dias.

collage1
Concluímos que as plantas regadas com maior quantidade de água desenvolveram-se mais, pois a água condiciona o crescimento das plantas. As nossas previsões estavam corretas!!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Experiência 2: “As plantas necessitam de ar para se desenvolverem?”

Mais uma vez colocámos terra em dois vasos e uma alface em cada um e identificámos com a letra A e B. Tapámos o vaso B com um pequeno saco de plástico preso ao caule, para que não saísse nem entrasse ar. Ficaram na janela 15 dias.

collage2

O vaso A exposto ao ar cresceu normalmente, enquanto a alface do vaso B ficou com uma cor amarelada e com gotículas de água presas ao interior do plástico. Assim concluímos que as plantas precisam de ar para se desenvolverem e respirarem.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Experiência 3: “De que forma a luminosidade condiciona o crescimento das plantas?”

Foram colocadas três couves nos respetivos vasos A, B e C num local iluminado. O vaso A ficou diretamente exposto à luz solar, o vaso B permaneceu dentro de uma caixa e o vaso C foi colocado numa caixa com uma abertura na tampa. Ficaram 15 dias na janela da sala de aula.

collage3
Podemos concluir que a luminosidade influencia o crescimento das plantas, pois a couve do vaso A cresceu normalmente, a couve do vaso B desenvolveu-se pouco e começou a ficar com o caule e as folhas amareladas e a última couve ficou com o caule inclinado na direção da luz solar (orifício da tampa).

Este slideshow necessita de JavaScript.

Conhecer a influência dos fatores abióticos nas plantas foi um tema muito aliciante. Adorámos ser os “cuidadores” destes pequenos seres vivos ao longo de quinze dias, pois assim aprendemos, também, a conhecer e a respeitar o fascinante mundo das plantas.

2.ºA – EB1 do Espadanal

Professora Ana Vinha

As propriedades do ar!

Olá Cientistas!

A atmosfera terrestre é formada por uma massa de gases que envolve todo o planeta.balao_1

Na atmosfera, da qual faz parte o ar, distinguem-se diferentes camadas que, no seu conjunto, desempenham funções essenciais para manter a vida na terra.

O ar é uma mistura de gases. Nessa mistura o azoto é o gás mais abundante, ocupando 78%, do volume total. O oxigénio, outro gás presente no ar, ocupa 21%. Misturado com o azoto, o oxigénio torna o ar respirável.

Finalmente, o dióxido de carbono, vapor de água, o hidrogénio e diversos gases raros estão presentes em muito menor quantidade, cerca de 1%.

Na nossa aula de ciências, do dia 17 de janeiro, a cientista Ana levou-nos à descoberta das propriedades do ar, com a realização de pequenas e divertidas experiências.

Experiência 1:  “Quais são as características do ar? Tem cor, cheiro ou sabor?                                                   Tem peso? pode ser comprimido? Muda de forma?

Materiais necessários:materiais

  • Balança eletrónica
  • Balão de borracha
  • Seringa

Como fizemos:

Cor, cheiro e sabor

1.Recorremos aos nossos sentidos e verificámos se o ar tem cor, cheiro ou sabor.

Peso

2. Pesámos, na balança eletrónica, o balão de borracha vazio.
3. Enchemos o balão de ar e colocámos na balança
4. Registámos o resultado.

collage_1

Compressibilidade

5. Puxámos o êmbolo da seringa, para que o ar entrasse para o seu interior.
6. Tapámos o orifício de saída com um dedo e empurrámos o êmbolo.
7. Com o dedo a tapar o orifício e soltámos o êmbolo da seringa.
8. Observámos e registámos o resultado.

collage_2

Mudança de forma

9. Puxámos o êmbolo da seringa, para que o ar entrasse para o seu interior.
10. Adaptámos a abertura do balão de borracha ao orifício da seringa e empurrámos o êmbolo.
11. Observámos e registámos o resultado.

collage_3

Registo dos resultados:

novo-apresentacao-do-microsoft-powerpoint

Concluímos que:

O ar é incolor, insípido e inodoro.  

O ar tem peso. Este é compressível e apresenta forma variável.

Experiência 2: “O que acontece ao ar quente?”

Materiais necessários:mar

  • Balão de borracha
  • Uma garrafa de plástico
  • Dois recipientes
  • Água quente
  • Água tépida
  • Cubos de gelo

Como fizemos:

1. Enchemos um recipiente com água quente e o outro com água tépida e colocámos cubos de gelo.

2. Ajustámos a abertura do balão no gargalo da garrafa.

3. Colocámos a garrafa dentro de água quente e esperámos um minuto.

4. Colocámos a garrafa dentro de água fria e esperámos um minuto.

Registo dos resultados:

collage_5

Concluímos que:

O ar aquecido fica mais leve e sobe e é por isso que enche o balão.

O ar quente é menos denso que o ar frio.

Este slideshow necessita de JavaScript.

2ºA – EB1/JI do Parque

Os meios de transporte!

No dia 5 de janeiro de 2017, a nossa aula de ciências consistiu sobre os meios de transporbarcote. Os meios de transporte são usados quando nos queremos deslocar de um lado para o outro.

Os meios de transporte podem ser terrestres, aéreos e aquáticos (marítimos ou fluviais). Alguns transportam mercadorias e outros transportam passageiros. Se pertencerem a um dono são transportes privados mas, se qualquer pessoa puder andar chamam-se transportes públicos.

Na aula a professora Ana mostrou-nos como funciona um avião a jato. Encheu um balão, colocou-lhe uma palhinha e colou-o a um fio e quando cortou a ponta do balão, o avião subiu.

collage1
De seguida, a professora Ana trouxe dois barcos feitos com caixas de ovos, um pau de espetada e a vela era feita de cartolina. Numa bacia com água colocamos os “barcos” e dois alunos seguraram em cada um e outro segurava num secador.

collage2

Observamos que o “barco” que tinha a vela maior andava mais rápido.
Assim foi a nossa aula, que gostamos muito.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Texto coletivo produzido pelo 2º ano da EB1/JI do Parrinho

Professor José Miguel Dias

Bolachas de Natal!

Olá Cientistas!

Com a chegada do Natal tudo fica tão diferente!

As ruas enchem-se de luzes, enfeites, cânticos e pessoas atarefadas denovo-apresentacao-do-microsoft-powerpoint-2 um lado para o outro, que deixam a cidade num clima de festa acolhedor!

As casas começam a vestir-se de luzes, enfeites, as cozinhas enchem-se de aromas característicos de doces e guloseimas desta época.

As famílias reúnem-se, reencontram-se familiares e amigos.

É Natal, tempo de amor, paz e alegria!

Hoje vamos apreender a fazer uma experiência para tornar o teu Natal ainda mais saboroso! 

Estás preparado?

Materiais necessários:

  • 3 Chávenas de farinhanovo-apresentacao-do-microsoft-powerpoint-2
  • 1 Colher de fermento
  • 1 Colher de sal
  • 200 g de Manteiga amolecida
  • 1,5 Chávenas de açúcar
  • 2 Ovos
  • 1 Colheres de extrato de baunilha.

Como fizemos:

1. Misturámos  todos os ingredientes até obtermos uma massa fácil de trabalhar.
2. Estendemos a massa, com a ajuda de um rolo, até ficar com uma espessura de 0,5 centímetros.
3. Com os cortadores festivos, recortámos as bolachas em forma de pinheiro, estrela, etc…
4. Levámos ao forno, previamente aquecido, a cerca de 180ºC, durante 12 minutos.
5. Polvilhámos com açúcar em pó.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Os pequenos cientistas do 2ºano, da EB1 dos Ribeiros desejam a toda a comunidade escolar um:

Feliz Natal e um Excelente Ano de 2017!

 

%d bloggers like this: