Os frutos e a água!

A terceira aula do Projeto Pequenos Cientistas também incluiu a água.

Nesta aula fizemos uma introdução ao estudo da flutuação e observamos o que acontece a alguns objetos quando colocados na água.

A professora Ana mostrou-nos:Novo Apresentação do Microsoft PowerPoint

  • uma rolha de cortiça;
  • uma moeda;
  • uma colher de metal;
  • um ovo de esferovite;
  • uma tampa de plástico.

Seguidamente colocou-nos a seguinte questão:

“O que pensam que vai acontecer aos diferentes objetos quando os colocarmos na água?”

collage1

Depois de verificarmos que alguns objetos flutuavam (rolha de cortiça, tampa de plástico e ovo de esferovite) e outros não (colher de metal e moeda), chegámos à conclusão que todos os objetos que eram mais densos que a água afundam e que os que são menos densos do que a água flutuam.

De seguida a professora Ana fez-nos mais uma pergunta mas, desta vez, sobre os frutos que tinha trazido:

“Quais serão os frutos que flutuam?”

Depois de registarmos a nossa opinião no manual de Estudo do Meio fomos experimentar.

previsao

Colocamos os diferentes frutos num garrafão com água e observamos o que lhes acontecia.

collage2

Para nossa surpresa uns flutuavam (limão, banana, maçã e laranja) enquanto que as castanhas e as uvas foram ao fundo (não flutuavam).

Assim, tal como nos objetos concluímos que todos os frutos que eram mais densos que a água afundaram e os que eram menos densos que a água flutuaram. No caso da laranja o ar presente nos buraquinhos da sua casca faz com que ela flutue, agindo como uma boia!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Sabias que:

“Princípio de Arquimedes”

Um corpo mergulhado em água recebe um impulso vertical para cima igual ao peso do fluído deslocado.

Conta a lenda que Hierão, rei de Siracusa, encomendou uma coroa de ouro puro a um ourives. Porém, ao ver a coroa, o rei desconfiou de que o artesão o tinha enganado e misturado ouro com prata, por isso pediu a Arquimedes para
descobrir se a coroa era realmente de ouro puro.
collage3

Arquimedes descobriu a solução enquanto tomava banho. Observou que, ao entrar na banheira, o nível da água subia quase até transbordar. E deduziu aquilo a que chamamos “peso aparente”: materiais diferentes têm volumes diferentes, embora pesem o mesmo.

Sendo assim, uma mistura de ouro e prata não deslocava a mesma quantidade de líquido que um objeto com o mesmo volume feito de ouro puro. Conta-se que quando Arquimedes fez esta descoberta ficou tão eufórico que saltou da banheira e correu nu pelas ruas de Siracusa a gritar “EUREKA!”, ou seja, “descobri!”

Adaptado de “365 experiências e outras ideias para criar e jogar” 

Turma 1ºA – EB1/JI Parrinho

Prof. José Miguel Dias

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: