Esqueletos e vinagre… uma dupla inimiga!

Durante o mês de outubro estudamos o esqueleto. Nas atividades dos Pequenos Cientistas Sanjoanenses, e orientados pela professora Guida, realizámos duas experiências relacionadas com os assuntos tratados no Estudo do Meio e que vamos  descrever.

  • Uma das experiências utilizou ossos, vinagre e frascos com tampa, como material.

Começámos por retirar todos os músculos e tendões dos ossos e deixámos secar;

De seguida colocámos os ossos nos frascos e cobrimos com vinagre;

Fechámos os frascos com a tampa e deixámos em repouso 8 dias. Depois desses dias de repouso em vinagre observámos que o vinagre tinha descido de nível e não cobria totalmente os ossos.

Os ossos dobravam-se nas pontas com facilidade.

Desta experiência concluímos que o vinagre retirou o cálcio e o fósforo que davam a dureza e a resistência aos ossos e que eles ficaram moles e flexíveis.

  • A outra experiência como material utilizou conchas de ameijoas, ovos, vinagre e frascos com tampa.

       Colocámos ovos e conchas de ameijoas dentro de frascos e cobrimo-los com vinagre;   observamos que, em ambos os casos, houve a libertação de bolhas de gás(dióxido de carbono); após uma semana as cascas desapareceram e os ovos ficaram só com uma espécie de película mole chamada membrana; (também tinham aumentado de volume). Ficamos então a saber que essa película era semipermeável e tinha deixado “entrar” algum vinagre. Quanto às conchas das ameijoas,  “desapareceram”.

Da primeira para a segunda experiência vimos que a ação do vinagre sobre as substâncias teve efeitos diferentes. Só pode ter acontecido porque as substâncias em contacto com o vinagre eram diferentes. No caso das conchas de ameijoa, que são constituídas essencialmente por carbonato de cálcio, o ácido do vinagre destruiu completamente esses esqueletos externos, por isso desapareceram. E, o mesmo sucedeu com a casca do ovo, pois tem uma composição parecida. No que diz respeito aos ossos de galinha, o ácido do vinagre retirou-lhe os sais minerais que lhe conferiam dureza mas, a restante composição permanece (fibras de colagénio), logo não desaparecem, mas ficaram moles e flexíveis.

Eis algumas fotografias da experiência:

EB1 Conde Dias Garcia

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: