Experiências atraentes!

Nos últimos tempos temos andado a estudar electricidade e magnetismo. Mas hoje só vamos falar um pouco acerca do magnetismo .

O magnetismo é o ramo da Ciência que estuda os materiais magnéticos, ou seja, estuda materiais que são capazes de atrair ou repelir outros. A primeira referência conhecida sobre uma substância capaz de atrair outras é a de Tales de Mileto. Os primeiros fenómenos magnéticos foram assim descobertos na Antiguidade numa cidade grega chamada Magnésia.

Magnetite – mineral que possui propriedades magnéticas.

Na primeira actividade a professora Guida propôs-nos a resolução de um problema, que era o seguinte: “Como tirar clipes de dentro de uma bacia com água, sem molhar as mãos?

Cada grupo pensou numa maneira de resolver o problema e depois apresentou a sua ideia à turma. Em conjunto, chegámos à conclusão de que a melhor maneira de tirar os clipes seria utilizando uma espécie de “cana de pesca”. Então, com pauzinhos de espetada, fio e ímanes construímos as nossas “canas de pesca”. Entretanto, a nossa actividade tornou-se numa competição, em que o objectivo era tirar o maior número de clipes no menor tempo possível! E… foi um sucesso!

Seguidamente, decorámos os ímanes… e que giros que ficaram!

Vejam, agora, as fotografias da nossa aula:

Actualmente sabemos que existem ímanes naturais constituídos por óxidos de ferro, encontrando-se na natureza sob a forma de grãos associados a outras rochas e ímanes artificiais, fabricados pelo homem a partir do ferro, cobalto, níquel, bem como de ligas metálicas, com diferentes tamanhos e formatos.

Tal como o nosso planeta Terra (que é um íman gigante), cada íman possui dois pólos: o pólo norte (PN) e o pólo sul (PS) que são as duas extremidades do íman, onde a sua força é maior.

Mas, nem todos os materiais são atraídos pelos ímanes. Assim, nas nossas aulas de ciências pudemos observar alguns dos objectos que são atraídos pelos ímanes, nomeadamente, o clip, a moeda de 0,01 euro, de 1 euro e de 2 euros, o prego, entre outros, e os objectos que não são atraídos e que se denominam de não magnéticos. No final desta actividade pudemos concluir que quando aproximamos os pólos sul, ou os pólos norte, de dois ímanes verifica-se uma interacção repulsiva, ou seja, eles repelem-se (fazem força para longe um do outro). No entanto, quando aproximamos um pólo norte de um íman de um pólo sul de outro íman, verifica-se uma interacção atractiva, isto é, há uma atracção (puxam um na direcção do outro). Quando se parte um íman em duas partes cada uma das partes passa a ter um pólo norte e um pólo sul.

E terminámos o estudo do magnetismo construindo uma bússola caseira.

Uma bússola é um instrumento de orientação baseado em propriedades magnéticas dos metais e do campo magnético terrestre.

Bússola

Como fizemos:

Colocámos água numa caixa de plástico transparente. Depois, cortámos uma rodela de cortiça de uma rolha de cortiça. Friccionámos uma agulha de cozer num íman, sempre na mesma direcção e, assim, a agulha ficou magnetizada. De seguida, prendemos a agulha à rodela de cortiça e colocámos a flutuar na água. Quando a rodela parou o bico da agulha apontava para Norte. E como é que nós sabíamos? Porque a professora trouxe uma bússola e vimos que a ponta da agulha de cozer apontava na mesma direcção da agulha magnética da bússola.

E, agora o registo fotográfico desta actividade:



EB1/JI Fundo de Vila – 3º A e 3º B

Professoras titulares: Ana Mafalda Pinto e Salomé Rodrigues

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: